Quem está em busca de recursos para se capitalizar precisa de ajuda para entender qual é o valor dos recursos que pode receber em um empréstimo e a qual taxa de juros. Nesse sentido, um simulador de crédito é uma ferramenta valiosa.

Existem diversos tipos de simuladores para os mais diversos propósitos: simulador de financiamento de imóvel ou veículo, simulador de crédito pessoal e assim por diante.

Neste post, vamos mostrar onde você pode encontrar essas ferramentas e como deve usá-las para complementar a sua decisão de onde conseguir um empréstimo. Acompanhe!

Usar um simulador de crédito é confiável?

Toda ferramenta que possa ajudar você a calcular o valor de um empréstimo pode ser útil na hora de organizar as suas finanças pessoais.

No entanto, vale prestar atenção às premissas consideradas na hora de fazer esses cálculos. Dependendo da modalidade de crédito, será necessário acrescentar valor de amortização, seguros, taxas e outros possíveis encargos.

O mais comum é que as próprias empresas que oferecem empréstimos, incluindo as fintechs de crédito, já ofereçam simuladores desse tipo em seus sites.

Mas lembre-se: na hora de comparar os custos e as condições oferecidas, vale sempre prestar atenção ao Custo Efetivo Total (CET) da operação. É esse dado que determina o quanto, de fato, você vai pagar por um empréstimo.

Onde encontrar simuladores de crédito?

Além dos próprios sites dos bancos ou financeiras, você pode encontrar diversas ferramentas online que te ajudam a calcular e comparar as condições que estão sendo oferecidas. Conheça algumas dessas ferramentas:

1 – Calculadora do Cidadão

A Calculadora do Cidadão é uma ferramenta gratuita disponível no site do Banco Central. Uma de suas funções é ajudar a calcular o valor de um financiamento com prestações fixas. A cada operação, é possível calcular o valor de uma das quatro variáveis a seguir:

  • número de meses (tempo para quitar a dívida);
  • taxa de juros mensal;
  • valor da prestação;
  • valor financiado.
  • No site, basta preencher três dos campos acima e a calculadora revelará o quarto valor. Caso você precise de ajuda para converter taxas, pode combinar o uso da calculadora do Banco Central com o site Faz a Conta, que ajuda a converter taxa de juros anual em mensal, e vice-versa. 

    2 – Simulador de crédito da Serasa

    A Serasa, um dos principais birôs de crédito do Brasil, oferece um simulador de empréstimo online e gratuito, o Serasa eCred.

    Com essa ferramenta, você consegue visualizar rapidamente o valor aproximado da parcela de um empréstimo pessoal apenas ajustando a quantia que você precisa ao prazo em que você pode pagar a dívida.

    Mas atenção: o valor liberado depende de uma análise de crédito e as condições podem mudar dependendo da instituição que faz a oferta.

    3 – Simulador de crédito de sites de bancos e financeiras

    Os próprios sites de instituições financeiras já oferecem simuladores de crédito focados em cada categoria.

    No caso do crédito imobiliário, por exemplo, uma das ferramentas mais famosas é o Simulador de Crédito Habitacional da Caixa. Nele, basta fazer um cadastro e simular as condições de financiamento de um imóvel de maneira simples e rápida.

    Mas você também pode encontrar simuladores de crédito em sites que comercializam esses bens, como sites de vendas de imóveis e veículos, por exemplo. Nesse caso, vale prestar atenção se o crédito é oferecido pela própria empresa ou se é feito em parceria com outra instituição.

    4 – Simulador de crédito de Fintechs de crédito

    As fintechs de crédito pessoal estão mudando a forma como as pessoas usam o crédito. Por meio da tecnologia, hoje é possível contratar um empréstimo de onde você estiver com apenas alguns cliques.

    Existem pelo menos duas categorias de fintechs nesse mercado, que são:

  • Fintechs que emprestam de forma direta: essas empresas usam recursos próprios para oferecer crédito para seus clientes. A vantagem é que é possível negociar as condições, que já costumam ser atrativas;
  • Marketplaces de crédito: fintech especializadas em consultar vários bancos e oferecer para seus clientes o melhor custo-benefício. Nesse caso, a vantagem é que você não precisa consultar cada instituição para saber as condições.
  • O que considerar antes de contratar um empréstimo?

    Como já mencionamos, o CET é o principal fator que você deve considerar antes de contratar um empréstimo, pois ele é quem determina o verdadeiro custo de tomar dinheiro emprestado. No entanto, outros pontos relevantes são:

    1 – Tempo de relacionamento com um banco ou uma financeira

    Cada instituição tem liberdade e autonomia para definir os seus próprios critérios para oferecer crédito a determinado público. 

    Não é possível saber com antecedência quais são as condições exatas para cada caso, mas o tempo de relacionamento com a instituição geralmente conta vários pontos na hora de solicitar um empréstimo. 

    Dessa maneira, quanto mais tempo de relacionamento você tiver com uma instituição, maiores são as chances de você ter acesso a taxas de juros mais vantajosas e melhores condições de pagamento.

    É claro, essa não é uma regra. Por isso, sempre vale a pena pesquisar como estão as condições em outras instituições. 

    2 – Score de crédito

    Você sabe qual é o seu score de crédito? Todo consumidor que já tenha contratado algum empréstimo ou cartão de crédito tem um.

    O score de crédito é um cálculo estatístico que determina a probabilidade de uma pessoa deixar de pagar uma dívida. Para isso, são considerados diversos fatores, como: renda, idade, região onde mora, e assim por diante.  

    A medida de um score de crédito geralmente vai de 0 a 1000, sendo que quanto mais alto, melhor. 

    Os birôs de crédito (como Serasa e Boa Vista) são as empresas que fazem esse cálculo e fornecem informações para bancos e financeiras. Por isso, é comum ouvir falar em consulta ao Serasa ou SPC na hora de contratar crédito.

    Uma das maneiras de melhorar o seu score de crédito é fazer o chamado Cadastro Positivo: um sistema integrado entre os birôs e bancos para disponibilizar informações de maneira mais rápida sobre pessoas que têm bom histórico de pagamentos. 

    3 – Garantias de pagamento

    Tem um imóvel ou um veículo registrado em seu nome? Você pode usá-los para contratar um empréstimo com garantia e baratear o custo final. 

    Na verdade, essa modalidade de crédito é que oferece as taxas de juros mais baixas, uma vez que o bem colocado em garantia pode ser vendido para quitar a dívida.

    A boa notícia é que você pode usar outros bens como garantia, como joias, obras de arte e até investimentos.

    A Nobli, por exemplo, é a primeira fintech de crédito pessoal no Brasil a oferecer de forma independente o crédito com garantia de investimentos. Esse tipo de operação, que costumava ficar mais restrito ao segmento Private nos grandes bancos, agora está em expansão no Brasil e promete facilitar muito a organização das suas finanças. 

    Crédito com garantia de investimentos: uma alternativa para levantar recursos

    O crédito com garantia de investimento (CGI) é uma modalidade relativamente recente no Brasil, mas que promete mudar a forma como as pessoas usam o crédito.

    Além disso, ele oferece taxas muito mais baixas do que empréstimos e financiamentos tradicionais. 

    Nesse caso, você pode usar aplicações financeiras em renda fixa (CDB, LCI, LCA) ou investimento em ações, BDRs, ETFs e FIIs como garantia de um empréstimo. Na Nobli, por exemplo, você encontra taxas a partir de 0,99% ao mês.

    Existem muitas possibilidades para usar um simulador de crédito no seu planejamento financeiro. Além disso, também há alternativas entre as próprias modalidades que você pode contratar. Que tal saber mais sobre elas? Confira o nosso post sobre o Crédito com Garantia de Investimentos e descubra uma forma mais inteligente de usar o seu dinheiro.