Mesmo quem não conhece o universo dos investimentos já deve ter ouvido falar na Selic, pois ela é divulgada a cada 45 dias e costuma ter bastante destaque no noticiário. Mas, afinal, o que é Selic?

Para você ter uma ideia, ela baliza não só as aplicações financeiras, mas também o mercado de crédito no Brasil . Além disso, ela é um dos principais indicadores observados por estrangeiros que têm interesse em investir em nosso país.

Entenda a seguir o que é a Selic e por que ela é tão importante para o seu planejamento financeiro.

O que é? Qual é o valor hoje?

Quando se fala em Selic, o consenso é que se trata da taxa básica de juros da economia brasileira. Ela é básica porque serve como referência para todo tipo de operação que envolve o pagamento de juros, seja um empréstimo, seja um investimento.

Porém, Selic é a sigla para Sistema Especial de Liquidação de Custódia: é, na verdade, o ambiente eletrônico em que são negociados os títulos públicos. 

Quem pode acessar esse sistema são os chamados investidores institucionais. São geralmente bancos e fundos de investimento que podem comprar e vender títulos do Tesouro Nacional, negociando diretamente com o governo.

A cada 45 dias, os diretores do Banco Central se reúnem no Comitê de Política Monetária, o famoso Copom, para definir a Selic Meta. Essa é a taxa que é divulgada no noticiário.  

A Selic hoje está em 6,25% ao ano, conforme a decisão mais recente do Copom.

Essa definição serve essencialmente para balizar as negociações de títulos públicos com os investidores institucionais. O objetivo é levar a Selic atual (tecnicamente chamada de Selic Over) para a meta definida pelo BC.

Essas são as operações de mercado aberto, o mecanismo utilizado pelo Banco Central para calibrar a taxa de juros no Brasil.  Ela surge, portanto, a partir da taxa média dessas operações.

A partir da definição dessa taxa, todos os demais investimentos de renda fixa acabam se ajustando a essa taxa, uma vez que ela representa o retorno do investimento mais seguro. Vamos ver mais detalhes a seguir.

Qual é a relação entre a Selic e os investimentos?

No campo dos investimentos, ela é tão importante que é também conhecida como taxa livre de risco. Na prática, ela representa a taxa de juros do investimento mais seguro em um país.

Saber essa taxa é importante para avaliar a relação entre o risco e o retorno de um investimento. Essa avaliação é feita tanto para aplicações financeiras quanto para ativos reais, como imóveis, participação em empresas e assim por diante.

O raciocínio é basicamente o seguinte: dado que a taxa livre de risco está em X% ao ano, vale a pena investir em um ativo cujo retorno esperado é de Y% ao ano, considerando todos os riscos envolvidos?

Dependendo do retorno esperado e dos riscos, pode fazer mais sentido permanecer na segurança que a taxa livre de risco oferece. 

No Brasil, basta investir em aplicações como o Tesouro Selic ou em títulos de renda fixa com retorno de 100% do CDI para ter um rendimento muito próximo da taxa básica de juros.

Portanto, ela não é um investimento, mas sim uma taxa de referência para aplicações financeiras. Dessa maneira, não é possível investir nela de forma direta. 

Qual é a relação entre a Selic e o rendimento da poupança?

A partir de maio de 2012, o rendimento da caderneta de poupança passou a ser diretamente ligado à taxa Selic.

O rendimento da nova poupança é dado da seguinte maneira:

Regra de cálculo do rendimento da poupança:

  • quando a Selic estiver acima de 8,5% ao ano, a poupança 0,5% ao mês + TR, a Taxa Referencial (hoje ela está zerada);
  • quando a Selic estiver abaixo de 8,5% ao ano, a poupança rende 70% dessa taxa.

Portanto, considerando que a Selic hoje está em 6,25% ao ano (abaixo de 8,5%), a poupança rende 70% de 6,25%: 4,37%.

Qual é a relação entre Selic e CDI?

A Selic é uma taxa formada a partir da negociação de títulos públicos (emitidos pelo governo), enquanto o CDI se baseia em operações com títulos privados (emitidos por bancos). Essa é a principal diferença entre as taxas.

Para o investidor, a diferença histórica entre Selic e CDI é de 0,10 ponto percentual. Assim, se a Selic hoje estiver em 10% ao ano, o CDI será de 9,90% no mesmo período.

Qual é a relação entre o Sistema Especial de Liquidação de Custódia e os empréstimos?

O reflexo da Selic nos empréstimos não é tão imediato quanto se vê nos investimentos. Mesmo assim, essa taxa é muito importante para determinar os juros cobrados nessas operações.

Quando a Selic está mais baixa, por exemplo, isso aumenta a competitividade entre os bancos, que se veem pressionados a oferecer taxas menores para conquistar mais clientes. Na prática, eles pagam juros menores para os investidores e, assim, o custo de captar dinheiro diminui.

O contrário também é válido. Quando a Selic sobe, os bancos encontram espaço para aumentar os juros dos empréstimos, uma vez que o custo de captação aumenta (eles precisam pagar juros maiores para quem está investindo dinheiro).

É dessa maneira que a Selic influencia o spread bancário (a diferença entre os juros dos investimentos e os juros dos empréstimos). Mas ele também será afetado por outros fatores, como a avaliação de risco de crédito feita por cada instituição, a remuneração de seus funcionários, o custo de manter a estrutura do banco e assim por diante. Agora que você já entende melhor o que é a Selic, que tal ver como construir o seu patrimônio de maneira mais inteligente e saudável? Baixe grátis o ebook Como Montar a Carteira de Investimentos Ideal e saiba mais!