Quem já se familiarizou um pouco mais com as expressões das aplicações financeiras provavelmente já ouviu falar em produtos de investimento.

Em um primeiro momento, como não se trata de itens tangíveis, essa expressão pode causar certa confusão. 

Porém, a partir de agora, você vai entender o que precisa saber para entender o que ela significa de fato e como você pode usar esse conhecimento para turbinar o seu planejamento financeiro. Continue a leitura!

O que são produtos de investimento?

Produtos de investimento nada mais são do que as aplicações financeiras que uma corretora ou um banco oferecem. Esse é um jargão muito comum em plataformas de investimento: sites, aplicativos e internet banking.

Junto com essa expressão, é muito comum aparecer também a palavra prateleira como sinônimo de ofertas disponíveis. Dessa maneira, a prateleira de produtos aponta opções que os clientes podem encontrar em determinada instituição.

Dessa forma, a expressão produtos de investimento se aplica a:

  • aplicações de renda fixa;
  • aplicações de renda variável;
  • fundos de investimento.

Quais são os principais tipos de produtos de investimento?

Existem literalmente milhares de opções de investimento para as mais variadas finalidades: montar uma reserva de emergência, construir patrimônio, se proteger da inflação, guardar dinheiro para a aposentadoria, ter uma renda mensal complementar e assim por diante.

Cada um desses objetivos demanda um mix de aplicações financeiras específico. No entanto, a combinação também varia conforme o perfil de risco de quem investe: há quem aceite arriscar parte do valor investido para buscar retornos maiores e há quem não tolere nenhuma perda no caminho.

Encontrar a combinação ideal para você exige uma análise personalizada. O ideal é que você recorra a profissionais de investimento para desenhar um plano de longo prazo. E para executar esses planos, existem os seguintes tipos de investimento:

Principais tipos de investimento
Renda fixaPoupança
CDB/RDBLCI/LCACRI/CRADebênturesFundos de investimento
Renda variávelAçõesOpções de ações ETFsBDRsCommoditiesFundos imobiliáriosFundos de investimento

Quais são os principais tipos de fundos de investimento?

Entre fundos de investimento, há outro universo de possibilidades que combinam aplicações de renda fixa e renda variável.

Eles também são chamados de veículos de investimentos, outro jargão comum no mercado. Na prática significa que eles facilitam o acesso a aplicações financeiras com valor de entrada mais alto e a estratégias de investimentos mais complexas.

Os fundos de investimento têm uma classificação técnica que leva em conta o prazo da carteira e o tipo de estratégia que eles adotam. Para facilitar a sua compreensão, trouxemos aqui uma divisão conforme os tipos de ativos em que eles investem. Confira a seguir:

Principais tipos de fundos investimento
Fundos DI/Renda Fixa SimplesFundos de Crédito Privado (CP)Fundos MultimercadoFundos de Índice (ETFs)Fundos de AçõesFundos Imobiliários (FIIs)Fundos de DebênturesFundos de Investimento no ExteriorFundos de Investimento em Direitos Creditórios (FIDCs) 

Como escolher os melhores produtos de investimento?

Como você viu, as possibilidades são inúmeras na hora de montar a sua carteira de investimentos. Para montar o mix ideal para você, é importante pensar nas seguintes questões:

1 – Você está investindo para quê? 

Um excelente primeiro passo para começar a investir é refletir sobre o que você pretende alcançar com esse processo.

Por isso, pense nos seus objetivos ao investir: você quer acumular patrimônio? Ter uma aposentadoria tranquila? Comprar uma casa ou um carro? Bancar uma viagem?

Cada uma dessas metas demanda uma combinação diferente de aplicações financeiras. Por isso, ter clareza nesses objetivos é muito importante para montar a carteira de investimentos ideal.

2 – Em quanto tempo você quer alcançar a sua meta?

O prazo dos seus objetivos também é outro fator determinante para a escolha das suas aplicações. Afinal, comprar um imóvel daqui a dois anos exige muito mais capital agora do que comprar daqui a dez anos.

Entender o prazo das suas metas também é importante para saber como distribuir os seus recursos entre diferentes estratégias. Como o seu dinheiro é um recurso limitado, é natural que você tenha que estabelecer prioridades nas suas metas.

Assim, tente descrever todos os seus planos e colocá-los em ordem de prioridade. Depois disso, será muito mais fácil encontrar a estratégia ideal para você.

3 – Quanto você tolera arriscar para ter o retorno desejado?

Ninguém quer perder dinheiro. No entanto, quem já investe há algum tempo sabe que não é tão fácil conseguir bons retornos investindo nas opções mais seguras.

O grande segredo é desvendar como organizar as suas aplicações para que a sua perda máxima fique sempre dentro do seu limite de tolerância.

  • Nesse sentido, quem tem perfil conservador não tolera nenhuma perda;
  • Já quem tem perfil arrojado tolera aplicações mais arriscadas, com risco de perda maior. Em troca, pode ter acesso a rendimentos maiores;
  • No meio do caminho está o perfil moderado, que aceita alguma perda, mas não arrisca tanto.

Como usar seus investimentos de forma ainda mais inteligente

Sabia que é possível ter dinheiro sem ter que abrir mão das suas aplicações financeiras? Você pode usá-las para obter um empréstimo e, assim, não precisa vendê-las para se capitalizar.

A partir da sua carteira de investimentos, é possível obter o chamado Crédito com Garantia de Investimentos (CGI). Trata-se de uma modalidade ainda recente no Brasil, mas que promete mudar a forma como os brasileiros usam o crédito.

A Nobli, por exemplo, é a primeira fintech do mercado a oferecer esse tipo de serviço de maneira independente. Antes, ele estava restrito apenas à prateleira dos grandes bancos e aos investidores do Private Banking.