Busque na Nobli

Tudo o que você precisa saber para investir em CDB

Aplicação queridinha dos brasileiros, o Certificado de Depósito Bancário ou simplesmente CDB, é um investimento conservador muito utilizado por investidores iniciantes ou como estratégia para a diversificação de carteira.

Mesmo assim, algumas vantagens do CDB ainda são desconhecidas pela maioria das pessoas, mesmo aquelas que já estão familiarizadas com as aplicações de renda fixa.

Então, no post de hoje falaremos sobre as principais particularidades desse investimento e como você pode fazer as suas primeiras aplicações. Acompanhe com a gente!

5 informações importantes sobre o CDB

Além de ser um dos títulos de renda fixa mais populares, o CDB possui algumas particularidades que podem fazer muita diferença nos resultados dos seus investimentos. Entenda melhor nos tópicos abaixo:

1 – Investir em CDB é seguro?

O CDB é um depósito que você faz em um banco com prazo determinado para receber de volta o valor depositado acrescido de juros remuneratórios.

Em troca desse depósito a prazo, o banco emite um certificado em seu nome, que antigamente era em papel, mas hoje é um documento eletrônico que o banco também registra na B3 (Bolsa de Valores brasileira).

O CDB é portanto um instrumento utilizado pelos bancos para captar recursos que serão posteriormente emprestados (a um juro maior) a quem tomar crédito com eles. Essa é a clássica intermediação financeira feita pelos bancos.

Portanto, o risco que você corre ao investir em CDB é a possibilidade de o banco não conseguir honrar o compromisso de devolver o valor prometido na data de vencimento do certificado.

Quando um banco não cumpre um compromisso desses, ele está insolvente e sofre um processo de intervenção pelo Banco Central. Entenda melhor com o exemplo abaixo.

O Brasil possui um sistema de seguro de depósitos, administrado pelo FGC, que indeniza os investidores que aplicaram em instituições financeiras que sofreram processos de intervenção pelo Banco Central, até o limite de R$ 250 mil por CPF e por instituição.

Para ficar completamente coberto pelo FGC, é preciso aplicar menos do que R$ 250 mil no banco, para “guardar espaço” no limite da garantia para os juros que você receberá.

Por exemplo, para um CDB com vencimento em 5 anos e que paga 10% de juros ao ano, o valor máximo que pode ser investido para não ultrapassar o limite do FGC é de R$ 250.000 / (1+10%)^5 = R$ 155.230,33.

Se a remuneração do CDB for pós-fixada, de, por exemplo, 130% do CDI, não é possível determinar no momento da aplicação o valor máximo que não ultrapassa o limite do FGC.

Mas é possível fazer uma conta aproximada: obtenha a taxa prefixada equivalente ao prazo de vencimento do CDB acessando este link, digitando “DI1” na pesquisa de símbolo, e selecionando o contrato de DI Futuro com vencimento mais próximo ao do CDB (se estamos em 2021 e o CDB vence em 5 anos, seria o contrato DI1F2027).

Suponha que essa taxa seja de 7,00%, e agora multiplique pelo fator de remuneração do CDB, ou seja 130% x 7,00% = 9,10%. Finalmente, use essa taxa final na fórmula e obtenha R$ 250.000 / (1 + 9,10%) ^ 5 = R$ 161.739,56 como o valor máximo a ser aplicado.

2 – Os CDBs podem servir como investimentos de curto e de longo prazos

Existem milhares de opções de CDBs no mercado de renda fixa, com diferentes taxas e prazos.
Você pode usá-los tanto para construir sua reserva de emergência quanto para rentabilizar seu patrimônio ao longo do tempo. De maneira geral, eles se dividem em duas grandes categorias:

  • CDB com liquidez diária: mesmo que ele tenha uma data de vencimento definida, é possível resgatar o valor investido a qualquer momento, sem prejuízo na rentabilidade. Esses CDBs costumam vir marcados com essa opção e seu rendimento acompanha o CDI, taxa muito próxima à Selic e que serve como referência para as aplicações de renda fixa.
  • CDB com liquidez no vencimento: essa opção é mais voltada para quem não pretende mexer no dinheiro por algum tempo. Geralmente, oferece rentabilidade maior, justamente porque considera um horizonte mais longo de investimento.

3 – Qual a rentabilidade do CDB?

Além das opções de prazo, existem também alternativas em relação ao tipo de rentabilidade que um CDB oferece. Você pode, por exemplo, investir em CDB com rentabilidade atrelada à inflação. Hoje no mercado estão disponíveis:

CDB prefixado

A rentabilidade desse tipo de CDB é fixada antes da contratação. Dessa maneira, você já tem condições de calcular o quanto receberá antes mesmo de fazer o investimento.
Mas preste atenção: essa taxa só pode ser cumprida caso você mantenha sua aplicação até o prazo de vencimento. Caso você precise resgatá-la antes, a rentabilidade depende das condições impostas pelo banco emissor desse título.

CDB pós-fixado

A rentabilidade é determinada em porcentual (%) de algum indicador financeiro, geralmente o CDI. Assim, quando você se depara com um CDB que rende 120% do CDI, isso quer dizer que o investimento paga o valor do CDI hoje, mais um adicional de 20% sobre essa referência.
Para facilitar, pense no seguinte exemplo: imagine que o CDI hoje esteja em 10% ao ano. Caso um CDB ofereça uma taxa de 120% do CDI, sua rentabilidade anual será de 12%.

CDB híbrido

A rentabilidade é dada por uma taxa prefixada + uma variação que segue um indicador financeiro, que pode ser o CDI ou algum índice de inflação, como o IPCA (o indicador oficial brasileiro) ou o IGP-M (que está ligado à inflação do aluguel).

4 – Qual a tributação do CDB?

A tributação dos CDBs segue a tabela regressiva do IR. Ou seja, quanto mais tempo você fica com o investimento, menos imposto você paga, já que o valor vai diminuindo à medida que o dinheiro permanece investido.

Sendo assim, as alíquotas podem variar de acordo com os dias investidos, sendo o percentual mínimo de 15% e o máximo de 22,5%. Entenda melhor com a tabela abaixo:

Tabela Imposto de Renda CDB

Tabela Imposto de Renda CDB Dias investidos
Até 180 dias22,5%
De 181 a 360 dias20%
De 361 a 720 dias17,5%
A partir de 721 dias15%

Percebe que, se o investidor resgatar a aplicação antes do vencimento, a alíquota fica maior e consequentemente o imposto também?

Por esse motivo, é recomendável fazer um planejamento financeiro antes de investir em CDB, para não precisar resgatar o valor do investimento antes do prazo programado. Afinal, o objetivo de todo investidor é fazer o dinheiro render cada vez mais, pelo menor custo possível, não é mesmo?

5 – Como funcionam os prazos?

Existem milhares de opções de CDBs no mercado de renda fixa, com diferentes taxas e prazos.
Você pode usá-los tanto para construir sua reserva de emergência quanto para rentabilizar seu patrimônio ao longo do tempo. De maneira geral, eles se dividem em duas grandes categorias:

  • CDB com liquidez diária: mesmo que ele tenha uma data de vencimento definida, é possível resgatar o valor investido a qualquer momento, sem prejuízo na rentabilidade. Esses CDBs costumam vir marcados com essa opção e seu rendimento acompanha o CDI, taxa muito próxima à Selic e que serve como referência para as aplicações de renda fixa.
  • CDB com liquidez no vencimento: essa opção é mais voltada para quem não pretende mexer no dinheiro por algum tempo. Geralmente, oferece rentabilidade maior, justamente porque considera um horizonte mais longo de investimento.

Você pode usar como garantia de um empréstimo

Mas, se você precisar de dinheiro, não precisa resgatar seus investimentos em CDB para se capitalizar. Agora, você pode optar pelo crédito com garantia de investimento, uma nova modalidade de empréstimo pessoal.

Nessa operação, você contrata valores proporcionais às suas aplicações, colocando-as como garantia de pagamento. Enquanto isso, seus recursos continuam investidos, sem nenhuma movimentação.

Qual é o melhor CDB?

Quando se fala em melhor CDB, é importante entender que isso varia conforme os interesses e o perfil de cada investidor.

No entanto, a maioria entende que os investimentos desse tipo precisam ser seguros, fáceis de movimentar e possuir bons rendimentos.

Então, pesquisar e comparar as condições das principais opções do mercado é o primeiro passo para acertar na escolha de um CDB.

No que diz respeito à rentabilidade, os melhores títulos costumam ser os que oferecem um rendimento de no mínimo 100% de CDI. Além disso, o prazo é um fator bastante decisivo em aplicações desta categoria. Isso por dois motivos:

  • Quanto maior for o tempo de aplicação menor será a cobrança de Imposto de Renda (alíquota é regressiva);
  • Há incidência de IOF – Imposto sobre Operações Financeiras – para resgates com menos de 30 dias.

Dessa forma, o melhor cenário seria manter o investimento por pelo menos 721 dias para garantir o desconto mínimo do Imposto de Renda que é de 15% e, assim, ter um maior retorno financeiro.

Outro ponto que você precisa considerar é se o banco ou corretora do seu interesse cobra taxa de manutenção do CDB – o que não é muito comum nessa modalidade.

Por fim, lembre-se sempre de pesquisar as novidades do mercado financeiro e continuar estudando sobre o assunto para fazer as melhores escolhas nos seus investimentos

Como investir em CDB?

Para investir do jeito certo e acertar na escolha das suas primeiras aplicações em CDB você pode seguir os seguintes passos:

Pesquise os bancos e corretoras

Pesquisar os bancos e corretoras disponíveis no mercado é um dos primeiros passos para investir em CDB.

Como as instituições têm regras e condições de investimentos diferentes, é muito importante conhecer um pouco sobre cada uma delas antes de fazer a sua escolha.

Decida qual a opção de CDB

Para escolher um CDB que esteja alinhado com os seus objetivos, você precisa saber:

  • Qual é a rentabilidade e liquidez do CDB,
  • O período de carência do CDB ; e
  • Se o banco que emite os títulos é bem posicionado no mercado ou não.

Abra uma conta na corretora

O próximo passo depois de escolher o tipo de CDB, é abrir uma conta em uma corretora ou banco digital que ofereça uma plataforma de investimentos.

Nesse passo, você pode pesquisar sobre os recursos e facilidades que cada instituição oferece. Além disso, leia os comentários e as notas dadas pelos clientes em canais como o Google e aplicativo oficial da própria empresa.

Fique atento aos limites do FGC

Todos os CDBs são cobertos pelo FGC (Fundo Garantidor de Crédito). Esse é um recurso que pode ser utilizado em caso falência do banco ou qualquer outra ocorrência que prejudique o pagamento aos investidores.

Nesse caso, o investidor tem direito a uma cobertura de até R$ 250 mil em cada instituição financeira. E a partir de 2018, as aplicações no CDB contam também com um limite de R$ 1 milhão por CPF a cada quatro anos.

Comece a investir

Depois de abrir uma conta em uma corretora ou banco digital, é muito simples fazer os primeiros investimentos em CDB. Basta transferir uma quantia em dinheiro para a sua nova conta na corretora e comprar os CDBs na plataforma de investimentos.

Além disso, as instituições costumam exigir um investimento mínimo nessa modalidade. Nesse sentido, alguns bancos digitais e corretoras disponibilizam opções de CDBs a partir de R$100,00, enquanto outros exigem valores maiores.

Atualmente, o cadastro e toda a movimentação dos investimentos são feitos 100% online. Entenda melhor nos passos a seguir:

  1. Primeiramente, acesse o aplicativo/site do banco ou corretora do seu interesse;
  2. Geralmente, é necessário responder um breve questionário para que o sistema entenda melhor o seu perfil de investidor;
  3. Logo após, acesse a tela principal de investimentos, escolha a opção “Renda Fixa” e clique em “CDB”;
  4. Feito isso, escolha entre as opções disponíveis as que melhor atendam aos seus objetivos, considerando valores mínimos, datas de vencimento e remuneração;
  5. Por fim, quando o CDB vence, o valor do investimento acrescido dos juros operacionais é devolvido ao investidor na mesma conta-corrente. Para produtos com liquidez diária, o valor pode ser resgatado a qualquer momento ou aguardar a data final.

Agora que você já sabe um pouco mais sobre como investir em CDB e as suas principais particularidades, que tal conhecer todos os detalhes do CGI (Crédito com Garantia de Investimentos) da Nobli?

Com essa modalidade de crédito, você pode utilizar os seus investimentos como garantia de um empréstimo com a menor taxa de juros do mercado. E sabe o que é melhor? Os seus investimentos continuam rendendo normalmente!

Faça agora uma simulação e descubra todos os detalhes.

Quer receber mais conteúdo?