O mercado de ações no Brasil vem sendo cada vez mais ocupado pelas pessoas. Nos últimos cinco anos, o número de investimento em ações passou de cerca de 500 mil em 2016 para cerca de 3,8 milhões em maio de 2021, segundo os dados mais recentes da B3, a bolsa de valores brasileira.

Toda essa atratividade tem seus motivos: a taxa de juros (Selic) mais baixa fez com que muitos buscassem aplicações além da renda fixa. Somado a isso, as corretoras com taxa zero e a disseminação de conteúdo educacional também tiveram importante papel para o aumento do número de pessoas físicas na bolsa.

Porém, falando especificamente do investimento em ações, muitos ainda têm dúvidas ou desconhecem fatores importantes a considerar antes de investir. A seguir, listamos alguns dos itens que não podem ficar de fora do seu planejamento financeiro. Confira!

1 – Com investimento em ações você se torna sócio de uma empresa

Quando você compra uma ação, na verdade está investindo no negócio de determinada empresa. Assim, como acionista, você compartilha do lucro e do prejuízo da companhia. 

Geralmente, esse efeito é sentido de forma mais imediata no preço das ações: eles tendem a subir quando há expectativa de lucros no futuro, enquanto a queda se dá pelo fator contrário.

Mas não é só a lucratividade do negócio em si que o mercado leva em conta. O ambiente econômico e político no país também exerce forte influência sobre as ações pois, dependendo dos rumos tomados, a lucratividade das empresas pode sofrer. 

É por isso que o investimento em ações é mais sensível às mudanças no mercado, uma vez que o preço dos papéis é dado considerando muito mais as perspectivas para o futuro do que o momento presente das empresas.

Dessa forma, por estarem diretamente ligadas à evolução das empresas, as ações são investimentos para longo prazo. 

2 – É possível lucrar com a valorização dos papéis ou com dividendos

A variação do preço de uma ação pode trazer bons resultados para quem está investindo, mas não é só isso: companhias mais maduras podem oferecer o pagamento de dividendos e Juros sobre Capital Próprio (JCSP ou JCP) a seus acionistas. 

Dessa maneira, você não precisa ficar comprando e vendendo ações para obter lucro, basta montar um bom portfólio e deixá-lo amadurecer.

3 – Investimento em ações indiretamente

Para montar uma carteira de investimentos vencedora, você precisa escolher os melhores ativos, sempre levando em conta o seu perfil e os seus objetivos.

Caso você não tenha tanta disponibilidade para escolher no detalhe, existem várias ferramentas que o mercado oferece, como por exemplo:

  • Fundos de ações: fundos de investimento que aplicam pelo menos 69% de seu patrimônio em ações. Como cada gestor de fundo define a sua estratégia, vale a pena entender a abordagem de cada fundo antes de investir. Você pode consultar diretamente os sites das gestoras  ou a lâmina dos fundos, um documento público que contém as principais informações sobre os riscos do investimento;
  • ETFs: são os fundos negociados em bolsa (do inglês, Exchange Traded Funds). Eles replicam o comportamento de um índice negociado em bolsa (como o Ibovespa, por exemplo) e permitem uma diversificação automática da sua carteira por meio de uma aplicação única. Saiba mais sobre os ETFs. 
  • 4 – É possível se proteger de prejuízos 

    Existem várias estratégias para se proteger contra perdas no mercado financeiro. Falando especificamente de ações, algumas delas são:

  • Diversificar seu investimento em ações: distribuir seus investimentos de forma inteligente entre vários ativos é a estratégia mais barata para ter uma carteira resiliente e rentável diante do sobe e desce do mercado. Aqui no blog, aprofundamos essa questão em outro post, que explica algumas estratégias de diversificação de investimentos;
  • Equilibrar o seu portfólio com ações + renda fixa: mesclar renda fixa e renda variável é uma forma de criar um colchão para a sua carteira. Assim, ela tende a cair menos diante das turbulências que possam ocorrer no mercado;
  • Adotar instrumentos mais sofisticados, como derivativos e empréstimo de ações: são voltados para os investidores que entendem melhor os riscos de investir nesse mercado e querem criar formas para rentabilizar sua carteira, mesmo em momentos de incerteza. Com os derivativos, é possível travar o preço de uma ação em determinado patamar. Já com os empréstimos, é possível rentabilizar os papéis que você tem emprestando-os para outros investidores especularem. Há diversos fundos de ações que adotam essas estratégias. 
  • 5 – Rentabilidade garantida não existe

    Quando você se deparar com promessas de ganhar dinheiro rápido ou de rendimento garantido, fuja.

    O mercado de ações, assim como o de outros ativos de renda variável, é imprevisível. Logo, não é possível saber com certeza como os preços estarão no futuro, muito menos prometer rentabilidade.

    O que existem são metodologias para projetar o comportamento dos preços em determinados cenários. E mesmo os métodos mais consagrados não permitem 100% de certeza.

    De qualquer forma, é importante ter em mente o seguinte: o mercado de investimentos é formado por um exército de pessoas qualificadas para fazer essas projeções e entregar bons resultados para seus clientes. E mesmo essas pessoas falham. Por isso, não acredite em promessas milagrosas de ganho fácil.

    6 – Ações podem ser usadas como garantia de um empréstimo

    Assim como outros tipos de ativos financeiros, as ações também podem ser usadas para tomar crédito com garantia de investimento.

    E o melhor: as taxas de juros são as mais baixas do mercado, com contratação online e liberação rápida dos recursos. A Nobli, por exemplo, é uma empresa especializada nesse tipo de operação e pode oferecer as melhores condições para você. 

    Quer saber mais? Faça uma simulação grátis e descubra como fazer o seu dinheiro trabalhar ainda mais para você!

    As ações são instrumentos que podem fazer parte de uma carteira bem equilibrada e rentável. Basta que esses investimentos sejam feitos de forma adequada, respeitando o seu perfil e os seus objetivos. Quer saber como montar um portfólio adequado para você? Em nosso e-book Investimentos: aprenda a montar uma carteira vencedora, explicamos o passo a passo para você selecionar as melhores aplicações. Baixe agora!