A sequência de Fibonacci é famosa por ser aplicada em várias disciplinas, desde a Matemática até o Design. Mas você sabia que ela também pode ser aplicada aos investimentos?

O conjunto de números é utilizado na análise gráfica para ajudar a identificar tendências  em aplicações de renda variável, como ações, BDRs, ETFs, FIIs e derivativos. 

De forma objetiva, a sequência ajuda a prever movimentos de mercado com base no passado recente.

Neste post, você vai conhecer mais detalhes sobre Fibonacci e entender como essa lógica pode ser aplicada ao seu planejamento financeiro. Vamos começar?

O que é a sequência de Fibonacci?

A sequência de Fibonacci é uma sucessão de algarismos inteiros na qual um número sempre corresponde à soma dos dois anteriores. Ela começa em 0 e 1 e vai até o infinito. 

Portanto, os números de Fibonacci são:

0, 1, 1, 2, 3, 5, 8, 13, 21, 34, 55, 89, 144, 233, 377, 610, 987, 1597, 2584…

A fórmula usada para descobrir a posição de um número na sequência é:

Fn = Fn-1 + Fn-2

Essa sequência foi descrita pela primeira vez por Leonardo Fibonacci (1170-1250), um matemático italiano considerado um dos nomes mais importantes dessa ciência. Ela está presente em padrões na natureza, nas artes e nas áreas de conhecimento mais distintas. 

Para se ter uma ideia, ela explica desde movimentos migratórios de animais até o formato e a direção do crescimento dos seres vivos. Hoje em dia, é usada até mesmo no gerenciamento de projetos e no estudo dos movimentos do mercado financeiro

Nas obras de arte, na arquitetura e no design, é usada para encontrar a proporção áurea: uma razão matemática que ajuda a definir o equilíbrio de uma composição. Essa proporção se dá a partir da divisão de cada número da sequência de Fibonacci pelo seu anterior. Veja a seguir: 

0 + 1 = 1 =
1 + 1 = 2 1/2 = 0,500
1 + 2 = 3 2/3 = 0,666
2 + 3 = 5 3/5 = 0,600
3 + 5 = 8 5/8 = 0,625
5 + 8 = 13 8/13 = 0,615
8 + 13 = 21 13/21 = 0,619
13 + 21 = 34 21/34 = 0,617
21 + 34 = 55 34/55 = 0,618
34 + 55 = 89 55/89 = 0,617
55 + 89 = 144 89/144 = 0,618
89 + 144 = 233 144/233 = 0,618
144 + 233 = 377 233/377 = 0,618
233 + 377 = 610 377/610 = 0,618

Como a sequência de Fibonacci é aplicada nos investimentos?

Os números de Fibonacci podem ser aplicados para estudar movimentos nas aplicações financeiras por meio da análise gráfica.

Nela, a sequência é apenas uma das ferramentas utilizadas para identificar tendências de aumento ou de queda de preço a partir do passado recente de um determinado ativo. No day trade, por exemplo, ela ajuda a prever pontos de compra e pontos de venda (stop) de um ativo. 

Quem opera nesse mercado costuma usar a proporção áurea convertida em porcentagem para calcular o preço alvo de um ativo. 

O valor que aparece com mais frequência é o 61,8%, mas também é possível encontrar o 38,2% (o necessário para chegar a 100%, representado pela divisão de um número da sequência pelo seu antepenúltimo).

Projeção e retração

As técnicas de projeção e retração de Fibonacci são usadas para prever movimentos nos preços dos ativos negociados na bolsa de valores.

Para utilizá-las, é necessário ter acesso ao home broker de uma corretora ou a qualquer outra ferramenta de trading que disponibilize gráficos com o desempenho dos ativos.

Primeiro, é preciso marcar em um gráfico um movimento completo de alta ou de baixa até a sua reversão. É possível utilizar o gráfico que mostra os movimentos minuto a minuto, de cinco em cinco minutos ou de um dia. Tudo depende da estratégia. 

Depois, no gráfico escolhido, basta sobrepor as linhas que representam a sequência de Fibonacci em 61,8, 38,2 e assim por diante. 

Essas linhas apontam patamares de preço para os quais o ativo analisado deve caminhar, seja em um movimento de alta ou de queda. Mas, é claro, esses eventos não podem ser dados como certos.

Confira mais detalhes da aplicação da sequência de Fibonacci no day trade no vídeo a seguir:

https://youtu.be/fn1F7Oms_O8

Vale a pena investir usando técnicas como a sequência de Fibonacci?

Como você viu, a sequência de Fibonacci pode ser bastante útil para entender padrões e prever tendências na bolsa de valores.

Porém, é necessário estudar um movimento de alta ou de baixa do começo ao fim. Depois, traçar as linhas que representam os valores na sequência para prever os pontos de entrada e saída. 

No entanto, essa ferramenta não garante que os movimentos previstos vão se realizar, uma vez que fatores externos podem influenciar o desempenho de um ativo, como acontecimentos que afetam o cenário econômico, por exemplo.

O ideal é não usá-la de forma isolada, mas usar outros recursos dentro do universo da análise técnica. 

Além disso, associá-la com outras formas de avaliar ativos, como as ferramentas no escopo da análise fundamentalista, é algo que faz a diferença na hora de saber onde e como investir em ações e outros ativos.

Outro ponto importante é acompanhar o noticiário e entender quais são os impactos nos preços dos ativos de seu interesse. Por fim, entender o contexto histórico também é fundamental para saber como os preços se comportaram no passado e, dessa maneira, identificar as novas tendências.