O empréstimo é uma alternativa usada por grande parte dos brasileiros para ter um dinheiro extra. Seja para pagar uma dívida, cobrir os gastos quando fica desempregado ou fazer alguma grande compra, como imóvel ou automóvel. Mas, na hora de pedir crédito, é preciso procurar os empréstimos com menor taxa de juros. Acompanhe o conteúdo e saiba quais taxas serão aplicadas para não comprometer sua vida financeira e não pesar no bolso!

O que define se um empréstimo terá menos taxa de juros?

Saber qual instituição financeira oferece menores taxas de juros para empréstimos precisa de pesquisa. Isso mesmo! É necessário analisar o mercado para entender quais as condições e taxas disponíveis.

Mas, antes da pesquisa, é preciso entender o que é juro. Segundo o Banco Central (BC), é a remuneração paga para quem empresta o dinheiro. Ou seja, é o valor que vai ficar para a instituição que forneceu o crédito.

a taxa de juros é a relação entre os juros e o dinheiro emprestado. Segundo o BC, ela pode ser calculada da seguinte forma:

taxa de juros = [Juros / Capital] x 100

Vamos ver na prática como fica. 

Em um empréstimo de R$ 2.000 o valor pago de volta foi de R$ 2.500. Voltando à explicação sobre o que é juro, entendemos que, neste caso, o valor dos juros é R$ 500. A instituição teve R$ 500 como recompensa por emprestar os R$ 2.000. 

Agora, aplicando na fórmula da taxa de juros, fica assim:

500 / 2.000 = 0,25

0,25 x 100 = 25%

Ou seja, a taxa de juros para esse empréstimo de R$ 2.000 é de 25%. Esse cálculo apresenta os juros simples, ou seja, que não mudam ao longo do tempo. 

Já os juros compostos funcionam um pouco diferente. A taxa mensal é aplicada em cima do montante do mês anterior e não no valor inicial, como no simples. Por fim, os juros de mora são aqueles aplicados em caso de atraso. Eles incidem sobre o quanto ainda falta pagar.

No Brasil, a taxa de juros pode ser definida pela instituição financeira. Ela pode variar conforme o score de crédito do cidadão, o tempo de pagamento e o valor a ser emprestado. Além disso, outros fatores influenciam na taxa de juros, como:

  • Taxa Selic
  • Essa taxa é usada como base para o cálculo dos juros cobrados em empréstimos de qualquer natureza. Ela é definida conforme a situação econômica do país e afeta, até mesmo, a cotação do dólar.

  • Custo Efetivo Total (CET)
  • Esse custo é a soma de todas as tarifas, seguros e encargos inclusos em empréstimos, incluindo a taxa de juros. E é importante saber disso porque, às vezes, as instituições que possuem menor taxa de juros podem possuir um CET maior, por causa de outras tarifas.

    Principais tipos de empréstimos com taxas de juros

    Além das taxas de juros poderem ser definidas livremente, existem também diferentes tipos de empréstimo. Veja como funcionam os principais:

  • Cheque especial
  • Um dos mais populares no Brasil, ele é oferecido pelos bancos aos usuários com conta corrente. É a famosa “conta negativa”. Se você precisa de dinheiro na hora e não tem saldo suficiente, o banco “empresta” a diferença e cobra juros por isso.

    Mas atenção! As taxas de juros do cheque especial são uma das maiores no país, podendo chegar a 300% ao ano.

  • Cartão de crédito
  • Quando você faz uma compra usando essa modalidade, a instituição faz um empréstimo para você quitar aquela transação. Esse empréstimo é cobrado depois de um tempo determinado, na hora que a fatura fecha.

    Esse formato de crédito exige atenção para não gastar no cartão de crédito mais do que poderá pagar quando a fatura fechar. Se ela não for paga, o cliente entra no crédito rotativo.

  • Crédito rotativo
  • Se o dono do cartão de crédito não pagar a fatura no dia combinado, ele recebe um empréstimo específico para quitar aquela dívida e, então, começam a ser aplicados juros altos em cima desse crédito. Normalmente, ele é oferecido pela própria empresa do cartão.

  • Crédito consignado
  • Esse tipo de empréstimo é pago a partir do desconto direto na folha de pagamento ou aposentadoria. Ou seja, quem usa esse crédito não precisa pagar mensalmente à instituição, o dinheiro será descontado automaticamente.

    Por ter uma fonte de pagamento segura, as taxas de juros desse empréstimo costumam ser mais atrativas e a contratação, simplificada.

  • Crédito pessoal
  • Diferente do consignado, o pagamento desse empréstimo é de responsabilidade de quem pede o crédito. Ele é oferecido por bancos e quem recebe o dinheiro pode usar da forma que preferir. Como não existe uma garantia de pagamento, como no consignado, esse empréstimo pode ser recusado, dependendo do score do cliente.

  • Refinanciamento de imóvel
  • Assim como no consignado, esse tipo de empréstimo também tem uma garantia. Neste caso, seria um imóvel quitado em nome de quem pede o crédito. Por exemplo, você pode dar um apartamento como garantia do empréstimo que pegou.

    O fato de ter uma garantia de pagamento permite que as instituições financeiras ofereçam juros mais baixos, assim como maiores prazos de pagamento.

  • Crédito com garantia de investimentos
  • Essa modalidade é indicada para pessoas que precisam de dinheiro com certa urgência e não podem ou não querem mexer nos investimentos. Ela também é usada pelos baixos juros que apresenta. 

    Enquanto a taxa de juros do crédito pessoal chega, em média, a 5,4% ao mês, o empréstimo com garantia de investimento pode chegar a valores entre 0,6% e 1,5% ao mês. 

    Os investidores enxergam nos juros baixos uma vantagem e optam pelo crédito em vez de retirar o valor da aplicação.

    Na Nobli, você pode ter um dinheiro extra e usar o investimento como garantia. Faça a simulação do crédito e contrate!