Fazer o dinheiro trabalhar sozinho é o motivo pelo qual muitas pessoas começam a investir. Nesse sentido, os dividendos têm um papel fundamental, pois eles ajudam na construção da independência financeira.

Com foco e disciplina, é possível montar uma carteira de aplicações financeiras que oferecem a possibilidade de viver de dividendos. Tudo depende das escolhas que você faz.

A partir de agora, vamos entender melhor esse universo e entender como é possível viver da renda de dividendos: quanto dinheiro você precisa juntar, em quais papéis investir e como encaixar essa estratégia em seu planejamento financeiro. Acompanhe a leitura!

O que são dividendos?

Dividendos são uma parte do lucro que as empresas que têm ações na bolsa de valores distribuem para seus investidores. Logo, para ter direito a receber dividendos, você precisa ser acionista de companhias que distribuem esses valores.

Os dividendos também são chamados de proventos que, na prática, são a remuneração de um investimento. Além dos dividendos outros tipos de proventos são:

  • juros sobre capital próprio, também chamados de JCP ou JSCP;
  • rendimentos de fundos imobiliários, os famosos FIIs.
  • Como receber dividendos?

    Para ter direito a receber dividendos, como já mencionamos, é necessário ter ações de uma empresa pagadora desses proventos. 

    Além disso, também é preciso ter esses papéis na sua carteira em uma determinada data, definida pela empresa na Assembleia de Acionistas. Assim, temos:

    • data com: data do pregão em que é necessário ter as ações para garantir o direito de receber dividendos;
    • data ex: a data a partir da qual as ações são negociadas sem o direito aos dividendos. Geralmente, elas são negociadas com um leve desconto.

    Quais são as ações que pagam dividendos?

    Empresas que dão lucro e companhias em estágio mais maduro são aquelas que costumam pagar dividendos a seus acionistas. A cada balanço trimestral que essas instituições publicam, é possível ver o valor desse lucro.

    Depois, a distribuição de proventos é definida na Assembleia de Acionistas. É nessa ocasião que se delibera sobre o percentual do lucro que será distribuído (por lei, é obrigatório que sejam pelo menos 25% para os investidores) e qual é a data em que as pessoas precisam ter o papel, a data com. 

    Como nenhuma companhia tem lucro garantido em seus negócios, o acompanhamento das empresas que pagam dividendos precisa ser feito caso a caso. 

    Mas existe uma forma de facilitar esse processo: o IDIV, um índice que reúne as empresas que mais pagam dividendos. Vamos conhecê-lo melhor a seguir.

    IDIV: o que é esse índice?

    O Índice de Dividendos da B3, o IDIV, é uma carteira teórica. Ou seja, não é possível investir de forma direta nesse índice, apenas comprar os ativos que o compõem ou aplicar dinheiro em fundos e ETFs que replicam esse indicador.

    O IDIV, como mencionamos, reúne as ações das melhores companhias pagadoras de dividendos da bolsa brasileira. Ele é muito útil para acompanhar o desempenho médio dessas ações, facilitando a execução de estratégias de investimento.

    Para fazer parte desse índice, uma organização não pode estar em recuperação judicial e deve figurar no ranking das empresas com o maior dividend yield (DY) da bolsa brasileira.

    Essa métrica reflete a proporção de dividendos distribuídos em relação ao preço das ações. Quanto mais alto for o DY, mais uma empresa remunera seus acionistas.

    No site da B3, você encontra a lista completa das companhias que mais pagam dividendos no Brasil.

    Quanto você deve investir para receber R$ 1 mil em dividendos?

    É possível viver da renda de dividendos? A resposta é sim. Mas como você vai ver a seguir, é necessário construir o seu patrimônio primeiro.

    Vamos tomar como exemplo a Unipar. Segundo a consultoria Economatica, ela é a empresa que mais pagou dividendos em 2021, distribuindo R$ 7,24 por ação este ano. 

    Com o papel UNIP6 custando cerca de R$ 90, seria necessário ter 139 ações para receber cerca de R$ 1 mil. Dessa maneira, seria preciso investir R$ 12.510.

    No entanto, esses R$ 1 mil são a quantia distribuída no ano de 2021. Para ter R$ 1 mil por mês, seria necessário aumentar o investimento em pelo menos 12 vezes, ou seja, R$ 150.120.

    Mas tenha em mente que nem sempre uma companhia distribui os mesmos valores em proventos, especialmente em tempos de crise. Por isso, é fundamental que você diversifique a sua carteira para buscar proteção e formas alternativas de construir e rentabilizar a sua carteira de investimentos.

    Crédito com Garantia de Investimentos: uma forma ainda mais inteligente de usar o seu dinheiro

    Quem precisa se capitalizar, mas não quer abrir mão de construir o seu patrimônio, já conta com uma solução inovadora no mercado brasileiro: o Crédito com Garantia de Investimentos, o CGI.

    Essa modalidade, que antes era mais restrita ao público investidor do Private Banking, agora está disponível para qualquer pessoa, especialmente com a chegada ao mercado de fintechs de crédito pessoal como a Nobli.

    Nessa modalidade de empréstimo, você usa suas ações como garantia para obter dinheiro, sem abrir mão dos seus investimentos. Quem tem ações pagadoras de dividendos continua recebendo os seus proventos normalmente.

    Quer saber quais são as condições para você? Faça uma simulação gratuita e descubra!