Ao investir em renda variável, você pode usar recursos extras para fazer as suas aplicações, mesmo que não disponha deles no momento. Uma das formas de fazer isso é por meio da conta margem.

A conta margem funciona como um empréstimo feito pela sua corretora de valores. Ela oferece os valores para que você possa fazer as suas operações cobrando uma determinada taxa. Assim, você consegue fazer as suas operações e devolver a quantia emprestada depois.

No entanto, vale prestar atenção em alguns pontos, especialmente em caso de prejuízo. A partir de agora, vamos entender melhor como a conta margem funciona e quais cuidados você precisa tomar antes de usar essa ferramenta. Aproveite a leitura!

O que é?

A conta margem é um tipo de crédito oferecido por uma corretora para operações que envolvem alavancagem. Ela se baseia nas ações e títulos públicos que você tem em carteira. 

Com base nos ativos que você tem, a corretora oferece um valor extra que você pode usar para fazer as suas negociações, sem precisar ter 100% do capital necessário. 

Dessa forma, você consegue fazer suas operações e, caso tenha lucro, fica com a diferença entre o valor investido e o resgatado, menos as taxas e impostos.

É a B3, a bolsa de valores brasileira, que determina os ativos que podem ser utilizados nessas operações. Confira aqui a lista completa de ações aceitas em garantia na conta margem.

Além disso, a B3 também determina a margem de garantia: uma quantia  mínima exigida para operações alavancadas. É uma porcentagem (%) do valor do ativo que você quer negociar para garantir a cobertura de prejuízos, caso eles ocorram.

Como fazer?

Para fazer uma conta margem, é necessário aderir a esse serviço junto à sua corretora. Cada corretora tem a sua forma de oferecê-lo, mas geralmente é necessário preencher um formulário no site manifestando o seu interesse.

Após esse cadastro, basta fazer o login no home broker normalmente e começar a operar. Vale lembrar que quando você usa a conta margem, o valor está sujeito à cobrança de encargos diários, como as taxas das corretoras e os impostos sobre esse serviço.

Quais operações usam a conta margem?

O mais recomendado é usar a conta margem para operações de curto prazo, como day trade, por exemplo.

Nessa modalidade, as operações com um ativo são abertas e encerradas no mesmo dia, seja compra e venda, seja venda e compra.

A conta margem, então, serviria para alavancar o seu capital para investir em operações de valor mais alto. Considerando o prazo de dois dias úteis para a cobrança de taxas, é uma opção para obter lucro rápido e pagar as taxas depois.

No entanto, uma vez que o lucro pode ser multiplicado, o prejuízo também, e na mesma proporção.

Por isso, é muito importante estudar exemplos e estratégias para realizar esse tipo de operação e começar testando aos poucos antes de investir grandes quantias.

Quanto custa operar com uma conta margem?

A taxa de juros de uma conta margem depende da carteira de quem está operando. Mas geralmente, ela fica entre 3% e 4% ao mês. 

Ela começa a ser cobrada a partir do segundo dia útil de compra (representado por D+2) de uma ação utilizando esses recursos.

Sobre a quantia operada incide ainda o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) de duas maneiras distintas: uma cobrança de 0,38% sobre o valor do limite da conta margem, mais 0,0082% calculado sobre a quantidade de dias em que esse limite foi utilizado.

Resumindo:

  • Taxa de juros: 3% a 4% ao mês;
  • IOF: 0,38% sobre o valor do limite;
  • IOF adicional: 0,0082% sobre cada dia do mês em que o limite da conta margem foi utilizado.
  • Conta margem ou crédito com garantia de investimentos?

    Se você precisa se capitalizar, sabia que pode usar os seus investimentos para obter um empréstimo com garantia?

    Apesar de ser uma modalidade relativamente recente no Brasil, você pode usar aplicações de renda fixa (como CDB, LCI e LCA) ou ações, BDRs, ETFs e FIIs como garantia em uma operação para obter crédito.

    Além da taxa de juros mais baixa, suas aplicações ficam bloqueadas para movimentação durante o período do empréstimo. 

    Essa é uma vantagem, pois permite que o seu dinheiro continue rendendo normalmente, de acordo com as condições do mercado, sem que você precise sacá-lo para obter recursos.

    Durante o período do empréstimo, seus investimentos ficam congelados. No entanto, eles seguem permitindo que você desfrute dos benefícios das aplicações: receber dividendos e rendimentos mensais, por exemplo.

    Na Nobli, a primeira fintech independente a oferecer esse serviço no Brasil, você paga a partir de 0,99% ao mês sobre o valor emprestado. Ou seja, é uma taxa cerca seis vezes menor que o custo médio da conta margem nas corretoras.

    Quer saber quais são as condições para você? Faça uma simulação gratuita e descubra!

    Como você viu, a conta margem pode ser uma opção para ampliar os seus ganhos na renda variável, mas a estratégia requer cuidado extra com o risco da sua carteira. Agora que você entende esses pontos, que tal se aprofundar em como investir de forma mais inteligente? Baixe grátis o ebook Como Montar a Carteira de Investimentos Ideal e saiba mais!