Não é segredo para ninguém: o cheque especial tem uma das taxas de juros mais altas para quem precisa de dinheiro. 

Mas uma alternativa que pode ser tão cômoda quanto usar o limite que o banco oferece é o crédito com garantia de investimentos: mais simples, menos burocrático e muito mais barato.

A partir de agora, vamos entender melhor as diferenças entre essas duas modalidades e ver na prática qual é o impacto de cada uma no seu orçamento pessoal. Você vai descobrir uma forma muito mais inteligente de usar o seu dinheiro. Confira!

Como funciona o cheque especial?

O cheque especial é uma das linhas de crédito que os bancos oferecem. Não se trata do tradicional talão, gravado na memória do brasileiro por causa do cheque pré-datado.

Na verdade, caso você não tenha o costume de checar o seu saldo bancário com frequência, pode cair facilmente no cheque especial.

Isso acontece porque ele é acionado automaticamente toda vez que a sua conta fica zerada e você faz alguma compra.

Como o acionamento é automático, a partir do momento em que você entra no limite do cheque especial, já terá de pagar os juros e as taxas dessa linha de crédito.

Existem alguns bancos que não cobram juros nos primeiros dias de cheque especial. O que não fica explícito é que, mesmo que o juro seja zero em um primeiro momento, o correntista segue sujeito ao pagamento do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF), o encargo que incide sobre esse tipo de crédito e outras operações de empréstimo no Brasil.

O limite do cheque especial varia dependendo do perfil do consumidor. Por isso, vale sempre prestar atenção ao saldo da sua conta e, se possível, desativar o acionamento automático.

Como calcular os juros do cheque especial 

A cobrança de juros do cheque especial é diferente de outras categorias de empréstimo, pois ela é diária e segue o cálculo de juros compostos. Veja esse exemplo para facilitar a compreensão: 

Imagine um banco que cobra juros de 12% ao mês no cheque especial e uma taxa diária de 0,40% sobre o saldo utilizado. Além disso, vamos supor um valor contratado de R$ 2 mil reais.  

Nesse caso, no primeiro dia haverá cobrança de 0,40% sobre o valor inicial de R$ 2.000. No segundo dia, a taxa será aplicada no valor anterior, gerando um novo montante e assim sucessivamente. 

Para entender melhor como funciona o cálculo da taxa de juros nessa modalidade de crédito, vamos dar um outro exemplo, utilizando a seguinte fórmula: 

Fórmula: Valor contratado x taxa de juros x tempo/30 

Mas atenção! A taxa de juros deve ser “ao mês” e o tempo “ao dia”. Considere também, esses dados para o cálculo: 

  • Valor do cheque especial: R$ 2.000 
  • Tempo que ficou negativo na conta: 10 dias 
  • Taxa de juros: 12% ao mês 
  • Agora, veja a seguir o passo a passo para o cálculo: 

    1 – Primeiramente, divida a taxa de juros por 100. No nosso exemplo, o resultado fica 12/100 = 0,12 ao mês;

    2 – Agora que já convertemos a taxa para o formato correto, devemos colocar os dados na fórmula;

    3 – Fórmula:  2.000 x 0,12 x 10 = 2400 = 80. 

                                   30                    30 

    4 – Então, o valor total dos juros desse cheque especial será de R$ 80,00.  É importante reforçar que nesse cálculo não estamos considerando IOF e outras tarifas que podem ser cobradas de acordo com a política de crédito do banco. 

    Considerando esse exemplo, já é possível perceber facilmente o alto custo de um empréstimo por cheque especial. A média de juros mensal praticada pelos bancos atualmente é muito próxima da que acabamos de utilizar, algo entre 12% e 14%  ao mês. 

    Porque é tão caro?

    Os custos de um empréstimo estão muito associados aos riscos de uma operação. No cheque especial, por exemplo, além de o banco disponibilizar um crédito pré-aprovado, não há nenhuma exigência de garantia de pagamento. 

    Tudo isso contribui para o aumento dos juros e outros custos na hora de contratar um empréstimo dessa categoria.

    Em contrapartida, existem outras opções de empréstimo no mercado mais vantajosas. No crédito pessoal automático, por exemplo, os juros mensais ficam em torno de 5% na maioria dos bancos; o que representa menos da metade da média de juros praticada no cheque especial. Mesmo que os juros sejam consideravelmente menores, o empréstimo pessoal tradicional está longe de ser o mais vantajoso. Uma boa saída para isso está nas modalidades de crédito com garantia – mais especificamente no empréstimo com garantia de investimentos, como veremos mais adiante.

    Cheque especial: como não cair em armadilhas

    Quando você abre uma conta-corrente no banco, geralmente tem acesso a um limite de crédito pré-aprovado, que pode servir para cartão de crédito, cheque especial ou ambos. 

    No caso do cheque especial, como você já deve saber, trata-se de um valor adicional que você pode utilizar quando sua conta bancária está zerada. Geralmente, esse valor já vem incluído automaticamente no saldo da sua conta.

    É aí que está a principal armadilha do cheque especial: como o valor é mostrado de forma incorporada ao saldo da sua conta, você pode pensar que dispõe dessa quantia sem encargos.

    Porém, ao utilizar esse limite, você paga uma das taxas de juros mais altas do mercado de crédito no Brasil:  em média, 6,9% ao mês, segundo os dados mais recentes do Banco Central.

    Para você ter uma ideia, com R$ 1 mil rodando a essa taxa, o valor da dívida se transforma em R$ 1.069 em apenas um mês. Isso sem considerar encargos como o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) e outros custos eventualmente cobrados pelo banco.

    Então, o ideal é evitar usar o cheque especial e, se possível, removê-lo da sua conta ou eliminar qualquer possibilidade de acionar o limite automaticamente.

    Mas caso você tenha caído nessa armadilha, aqui está uma boa notícia: existe uma forma muito mais barata de se capitalizar e ainda garantir benefícios de longo prazo para o seu planejamento financeiro. Vamos saber mais sobre ela a seguir.

    Crédito com garantia de investimentos: uma forma muito mais inteligente de usar o seu dinheiro

    Imagine poder usar aplicações financeiras como CDB, LCI, LCA, ações, BDRs, ETFs e FIIs para conseguir um empréstimo. É justamente essa a possibilidade que o crédito com garantia de investimentos oferece.

    Ele ainda é uma modalidade pouco difundida no Brasil, mas já é um velho conhecido no segmento premium dos bancos e corretoras. 

    Esse cenário, no entanto, está mudando rapidamente com as fintechs de crédito pessoal. Especializadas em oferecer crédito mais barato, elas estão ajudando a popularizar essa categoria de empréstimo oferecendo mais vantagens para você.

    É o caso da Nobli, por exemplo. Somos uma fintech especializada em crédito com garantia de investimentos e trabalhamos com a taxa de juros mais baixa do mercado, a partir de 0,79% ao mês. 

    Todo o processo de contratação é feito 100% online, com menos burocracia e mais agilidade na liberação dos recursos. Faça uma simulação de crédito gratuita e veja as condições.

    Cheque especial e crédito com garantia de investimentos: veja a diferença no seu orçamento

    Imagine que você tenha uma dívida de R$ 1 mil no cheque especial. Suponha também que você tenha aplicações financeiras como CDB, LCI e LCA, ações, BDRs, ETFs ou FIIs em valores equivalentes.

    Como você viu, o valor da dívida no cheque especial aumentou de forma exponencial por conta da taxa de juros mais alta. Sendo assim, o crédito com garantia de investimentos oferece uma vantagem bem maior.

    Por fim, agora que você conhece na prática a diferença entre o cheque especial e o crédito com garantia de investimentos, saiba também como utilizar seus ativos para conseguir um empréstimo e descubra por meio de uma simulação qual é o seu limite de crédito, prazo para pagamento e várias outras informações importantes. Clique aqui e simule agora.