Você sabe o que acontece na hora de um resgatar um CDB? Entende o passo a passo desde a solicitação de resgate até o depósito do valor na sua conta?

Caso você ainda não saiba ou tenha dúvidas, este post é o ponto de partida ideal para você.

Nele, vamos esclarecer as principais questões que você precisa levar em conta na hora de solicitar o seu resgate. 

Você também vai conhecer uma alternativa ao resgatar CDB pouco divulgada no mercado, mas que pode ajudar bastante no seu orçamento pessoal. Continue a leitura!

Como funciona o resgate?

Antes de falar sobre o resgate em si, vale a pena recapitular os tipos de CDBs que existem no mercado. Eles são:

CDBs de liquidez diária

O dinheiro pode ser resgatado a qualquer momento. Dependendo do horário da solicitação, o dinheiro fica disponível na conta no mesmo dia em que o pedido é feito. 

Justamente por causa dessa possibilidade, o rendimento dessas aplicações costuma ser um pouco menor. No mercado de renda fixa no Brasil, essa rentabilidade fica entre 90% e 102% do CDI.

CDBs com liquidez no vencimento

Como diz o próprio nome, o dinheiro investido nesses CDBs é programado para estar disponível na conta do investidor de maneira automática após a data de vencimento, já acrescido de juros.

Como eles dão mais possibilidade de o banco usar os recursos investidos em outros projetos, geralmente oferecem rendimento maior.

Nesse sentido, quanto maior for o prazo de resgatar CBD com liquidez no vencimento, maior tende a ser a rentabilidade que ele oferece.

As taxas que os CDBs desse tipo oferecem podem ser:

  1. Taxa Prefixada 

A rentabilidade é fixada antes da contratação. Dessa maneira, você já tem condições de calcular o quanto vai receber antes mesmo de fazer o investimento.  

Mas preste atenção: essa taxa só pode ser cumprida caso você mantenha a sua aplicação até o prazo de vencimento. Caso você precise resgatar antes, a rentabilidade depende das condições impostas pelo banco emissor desse título. 

  1. Taxa Pós-fixada

A rentabilidade é determinada em percentual (%) de algum indicador financeiro, geralmente o CDI. Assim, quando você se depara com um CDB que rende 120% do CDI, isso quer dizer que o investimento paga o valor do CDI hoje, mais um adicional de 20% sobre essa referência. 

Para facilitar, pense no seguinte exemplo: imagine que o CDI hoje esteja em 2% ao ano. Caso um CDB ofereça uma taxa de 120% do CDI, sua rentabilidade anual será de 2,40%. 

  1. Taxa Híbrida ou mista

A rentabilidade é dada por uma taxa prefixada + uma variação que segue um indicador financeiro, que pode ser o CDI ou algum índice de inflação, como o IPCA (o indicador oficial brasileiro) ou o IGP-M (que está ligado à inflação do aluguel).

Quanto aos prazos de resgate, eles podem ser de:

  • Até 180 dias (6 meses);
  • Entre 181 e 360 dias (1 ano);
  • Entre 361 e 720 dias (2 anos);
  • Acima de 721 dias (> 2 anos).

Mais adiante, veremos como esses prazos impactam no pagamento do Imposto de Renda sobre esses investimentos.

Quanto custa o resgatar CDB antes do prazo? O que é mercado secundário? 

O mercado secundário não é um local físico. É uma plataforma digital à qual bancos emissores de títulos têm acesso para negociar ativos com outros investidores institucionais (outros bancos, fundos de investimento, fundos de pensão e assim por diante).

Quando você pede um resgate antecipado de um CDB, é nesse mercado que o seu título é disponibilizado. Daí, existem dois caminhos possíveis: o banco emissor pode encontrar um comprador interessado no título que você quer resgatar ou ele mesmo pode recomprar esse título.

Em ambos os casos, existe uma penalização pelo resgate antecipado, seja por meio da rentabilidade menor que é oferecida, seja por eventuais taxas que o banco emissor cobra para realizar a operação. 

De qualquer forma, como cada instituição tem a sua política, não é possível simular o valor do resgate antecipado de um CDB nessas condições. É o próprio banco emissor que vai conferir as condições de mercado e estipular um valor para você. 

E lembre-se: além da penalização na rentabilidade, o resgate antecipado também está sujeito ao Imposto de Renda (que incide sobre o lucro do investimento no período em que você investiu) e ao Imposto sobre Operações Financeiras (IOF), no caso de aplicações inferiores a 30 dias.

Entenda como resgatar CDB

Para resumir, caso você precise resgatar um CDB antes do prazo de vencimento e ele não ofereça liquidez diária, você pode ter os seguintes custos:

  • taxa eventualmente cobrada pelo banco para recomprar o seu título ou disponibilizá-lo no mercado secundário (afeta a rentabilidade);
  • Imposto de Renda sobre o lucro do investimento até o momento do resgate;
  • IOF, para o caso de aplicações com menos de 30 dias.

Como declarar resgate de CDB no Imposto de Renda?

Para declarar o resgate, você precisa aguardar a emissão de um documento chamado Informe de Rendimentos

Ele deve ser emitido pela sua corretora até um dia antes da abertura do prazo para a entrega da Declaração do Imposto de Renda.

Nesse documento, constam as seguintes informações:

  • Sua posição de investimentos em 31 de dezembro do ano referente ao da declaração;
  • A mesma posição em 31 de dezembro do ano anterior;
  • Os rendimentos da aplicação ao longo do período.

Esses valores já estão deduzidos do Imposto de Renda, que é recolhido automaticamente pelo seu banco ou pela sua corretora.

Por isso, você precisará apenas copiar as informações fornecidas no momento de declarar o seu IR. Todas as indicações necessárias (código da aplicação, saldo e rendimentos) estarão nesse Informe.

Os códigos usados no programa da Receita Federal são:

  • Para declarar a posição de investimentos na guia Bens e Direitos:
  1. Código 45: aplicações de Renda Fixa (CDB, RDB e outros);
  • Para declarar os rendimentos, caso tenham sido maiores que R$ 0,00:
  1. Código 06: rendimentos de aplicações financeiras, na aba Rendimentos Sujeitos à Tributação Exclusiva/Definitiva.

Quando vale a pena resgatar um CDB?

Como cada tipo de investimento atende a necessidades diferentes, cada um tem o seu prazo ideal de resgate.

Investimentos com mais liquidez, por exemplo, são ideais se você precisa de dinheiro rápido para gerar caixa. É o caso do Tesouro Selic, dos CDBs com liquidez diária e dos fundos de renda fixa com resgate em poucos dias.

Já as aplicações com liquidez no vencimento ou o próprio investimento em fundos com estratégia mais sofisticada miram o longo prazo: construir patrimônio, financiar alguma aquisição no futuro, guardar dinheiro para a aposentadoria, para a faculdade dos filhos e assim por diante.

Dessa forma, é muito importante organizar as suas finanças pessoais para evitar que as situações imprevisíveis atrapalhem o seu caminho. 

Uma das formas de tomar esse cuidado é por meio da manutenção da sua reserva de emergência, aquela quantia investida em aplicações com liquidez imediata e que podem ser facilmente usadas para resolver esse tipo de situação. 

Outra forma, ainda pouco explorada, é usar o crédito com garantia de investimentos como uma ferramenta para se capitalizar. Esta é, aliás, uma das formas mais baratas de conseguir crédito no Brasil, com taxas a partir de 0,79% ao mês. 

Para você ter uma ideia, a taxa média dos empréstimos com garantia de imóvel ou veículo ficam em 1% ao mês, o que já faz uma grande diferença no orçamento. Agora que você tem uma ideia de como é resgatar um CDB, que tal conferir um material completo que vai te mostrar como turbinar os seus investimentos? Baixe grátis o e-book Será que está na hora de resgatar os meus investimentos? e tire suas dúvidas!