Na hora de lidar com o imprevisível, uma tática inteligente é pensar em várias maneiras de se preparar para os dias difíceis. Com as aplicações financeiras, não é diferente: diversificar seus investimentos é uma das formas mais baratas e eficientes de tomar esse cuidado e melhorar os seus resultados. 

A diversificação de investimentos é uma estratégia que consiste em distribuir seu capital entre diferentes tipos de aplicações financeiras, cada uma com sua função. O objetivo final é proteger seu patrimônio contra as oscilações do mercado e potencializar a rentabilidade da sua carteira no longo prazo. 

A partir de agora, você vai entender por que vale a pena adotar a diversificação no seu planejamento financeiro e como dar os seus primeiros passos rumo a uma carteira melhor balanceada. 

1 – Mais resiliência contra mudanças no mercado 

Quando você adota uma estratégia de diversificação, um dos efeitos é a diminuição do impacto de mudanças no mercado sobre a rentabilidade da sua carteira. 

A redução da taxa Selic, por exemplo, afeta os investimentos de renda fixa de maneira generalizada. Porém, se você tiver investimentos além dessa categoria (em fundos multimercado, ações, fundos imobiliários e assim por diante), pode reduzir as consequências dessa queda para a sua carteira. 

Já na renda variável, é possível reduzir o risco da sua carteira de ações, por exemplo, investindo em segmentos diferentes, como alimentação, varejo, bens de consumo, indústria, setor financeiro e assim por diante. Dessa maneira, se algum setor não estiver indo bem, o desempenho da sua carteira pode ser compensado por outro.  

2 – Redução do risco local 

Diante dos reflexos da globalização na economia e no dia a dia das pessoas, a diversificação geográfica é cada vez mais importante para proteger o seu patrimônio. 

Por meio dela, você tem acesso a outros mercados e reduz o impacto de fatores locais na sua carteira, como crises no cenário político e a alta do dólar, por exemplo. 

Além disso, você multiplica as possibilidades para a sua carteira, pois pode ter acesso a investimentos que não estão disponíveis no Brasil. 

3 – Diversificar investimentos: Mais formas de preservar o seu poder de compra  

Você já deve ter visto diversas comparações de investimentos com a inflação, especialmente as que envolvem a poupança. Aliás, por causa de suas regras, a caderneta acaba sendo uma forma de investimento que não preserva o valor do seu dinheiro ao longo do tempo. 

Diversificar seus investimentos também é uma forma de proteger seu patrimônio, pois pode preservar o poder de compra do seu capital ao longo do tempo. Isso pode ser feito de forma direta, com investimentos de renda fixa atrelados à inflação (aqueles que remuneram o investidor de acordo com esse índice e ainda acrescentam um determinado percentual). 

Para fazer investimentos no exterior, há basicamente dois caminhos possíveis. Um é abrir uma conta no exterior, transferir recursos para ela e fazer os investimentos diretamente lá fora. Esse processo costumava ser complexo e restrito aos investidores de alta renda. Mas empresas como a Avenue Securities e Stake estão democratizando esse acesso e facilitando o processo para quem opta por esse caminho.

O outro caminho já está aberto para os investidores que possuem contas em corretoras no Brasil: é o mercado de BDRs e ETFs negociados na B3. Os BDRs são recibos representativos de ações estrangeiras, e por meio dos BDRs Não Patrocinados é possível investir em empresas como Tesla, Apple, Amazon e Microsot da mesma forma que se compra e vende ações de empresas brasileiras. Existem também os BDRs de ETFs, que representa um ETF internacional, ou seja, uma cesta diversificada de ações de empresas estrangeiras. Clique aqui e saiba mais sobre as BDRs.

4 – Diversificar investimentos: Melhora os resultados no longo prazo 

Além das formas de diversificação já mencionadas, também é possível diversificar no prazo de vencimento: aplicações com liquidez diária, que costumam ter uma rentabilidade menor, podem ser combinadas com investimentos de prazo mais longo, que costumam oferecer rentabilidade maior para compensar o período do investimento. 

Mas repare em um ponto: em todos os tópicos acima, é possível relacionar os benefícios da diversificação com o bom desempenho da sua carteira ao longo do tempo. 

Afinal, uma carteira mais resiliente contra mudanças no mercado, menos suscetível ao risco local e mais preparada para acompanhar a inflação tem muito mais chances de ter boa rentabilidade. E o custo de tudo isso é relativamente baixo diante do resultado. 

Agora que você já entende mais sobre a importância de diversificar investimentos, já pode começar a planejar a melhor estratégia para a sua carteira.  

Além disso, também pode querer conhecer outras estratégias para melhorar as suas finanças pessoais. Aliás, você sabia que o crédito pode ser usado como uma importante ferramenta de planejamento financeiro? Clique aqui e saiba mais.