Busque na Nobli

4 motivos para diversificar seus investimentos

Na hora de lidar com o imprevisível, uma tática inteligente é pensar em várias maneiras de se preparar para os dias difíceis. Com as aplicações financeiras, não é diferente: diversificar seus investimentos é uma das formas mais baratas e eficientes de tomar esse cuidado e melhorar os seus resultados.

A diversificação de investimentos é uma estratégia que consiste em distribuir seu capital entre diferentes tipos de aplicações financeiras, cada uma com sua função. O objetivo final é proteger seu patrimônio contra as oscilações do mercado e potencializar a rentabilidade da sua carteira no longo prazo.

A partir de agora, você vai entender por que vale a pena diversificar os investimentos no planejamento financeiro, além de conhecer diferentes tipos de investimentos e descobrir como dar os primeiros passos rumo a uma carteira mais bem balanceada.

Por que diversificar investimentos?

Antes de conferir as melhores práticas para diversificar investimentos e conhecer as principais possibilidades de diversificação adotadas no mercado financeiro, é importante entender a importância de adotar esse cuidado. Confira!

1 – Mais resiliência contra mudanças no mercado 

Quando você adota estratégias de investimentos pautadas na diversificação, um dos efeitos é a diminuição do impacto de mudanças no mercado na rentabilidade da carteira.

A redução da taxa Selic, por exemplo, afeta os ativos de renda fixa de maneira generalizada. Porém, se você tiver outros tipos de investimento (em fundos multimercado, ações, fundos imobiliários e assim por diante), pode reduzir as consequências dessa queda na carteira.

Já na renda variável, é possível reduzir o risco da sua carteira de ações, por exemplo, investindo em segmentos diferentes, como alimentação, varejo, bens de consumo, indústria, setor financeiro e assim por diante. Dessa maneira, se algum setor não estiver indo bem, o desempenho da sua carteira pode ser compensado por outro.

2 – Redução do risco local 

Diante dos reflexos da globalização na economia e no dia a dia das pessoas, a diversificação geográfica é cada vez mais importante para proteger o seu patrimônio.

Por meio dela, você tem acesso a outros mercados e reduz o impacto de fatores locais na sua carteira, como crises no cenário político e a alta do dólar, por exemplo.

Além disso, você multiplica as possibilidades para a sua carteira, pois pode ter acesso a investimentos que não estão disponíveis no Brasil.

3 – Diversificar investimentos: Mais formas de preservar o seu poder de compra  

Você já deve ter visto diversas comparações de investimentos com a inflação, especialmente as que envolvem a poupança. Aliás, por causa de suas regras, a caderneta acaba sendo uma forma de investimento que não preserva o valor do seu dinheiro ao longo do tempo.

Diversificar seus investimentos também é uma forma de proteger seu patrimônio, pois pode preservar o poder de compra do seu capital ao longo do tempo. Isso pode ser feito de forma direta, com investimentos de renda fixa atrelados à inflação (aqueles que remuneram o investidor de acordo com esse índice e ainda acrescentam um determinado percentual).

Para fazer investimentos no exterior, há basicamente dois caminhos possíveis. Um é abrir uma conta no exterior, transferir recursos para ela e fazer os investimentos diretamente lá fora. Esse processo costumava ser complexo e restrito aos investidores de alta renda. Mas empresas como a Avenue Securities e Stake estão democratizando esse acesso e facilitando o processo para quem opta por esse caminho.

O outro caminho já está aberto para os investidores que possuem contas em corretoras no Brasil: é o mercado de BDRs e ETFs negociados na B3. Os BDRs são recibos representativos de ações estrangeiras, e por meio dos BDRs Não Patrocinados é possível investir em empresas como Tesla, Apple, Amazon e Microsot da mesma forma que se compra e vende ações de empresas brasileiras. Existem também os BDRs de ETFs, que representa um ETF internacional, ou seja, uma cesta diversificada de ações de empresas estrangeiras. Clique aqui e saiba mais sobre as BDRs.

4 – Diversificar investimentos: Melhora os resultados no longo prazo 

Além das formas de diversificação de carteira já mencionadas, também é possível diversificar no prazo de vencimento: aplicações com liquidez diária costumam ter rentabilidade menor e podem ser combinadas com investimentos de prazo mais longo, que oferecem rentabilidade maior para compensar o período do investimento.

Mas repare em um ponto: em todos os tópicos acima, é possível relacionar os benefícios da diversificação com o bom desempenho da carteira ao longo do tempo.

Afinal, um portfólio de investimentos mais resiliente contra mudanças no mercado, menos suscetível ao risco local e mais preparado para acompanhar a inflação tem mais chances de ter boa rentabilidade. E o custo de tudo isso é relativamente baixo diante do resultado.

Tipos de diversificação

Agora que você já entende mais sobre a importância de diversificar investimentos, já pode começar a planejar a melhor estratégia para a sua carteira. Com base nos pontos que abordamos acima, há 4 formas principais para planejar e montar um portfólio diversificado:

Apesar de ser um cuidado relativamente simples, repleto de vantagens e que garante mais segurança nas aplicações, a maioria dos investidores brasileiros ainda não tem uma carteira diversificada de investimentos.

Dados divulgados pelo Estadão indicam que 58% dos investidores no país têm uma carteira totalmente ou majoritariamente baseada em uma classe de ativos. Ou seja, mais da metade não mantém o que seria uma carteira de investimentos ideal.

A boa notícia é que você não precisa fazer parte dessa estatística. Abaixo, nós explicamos como aproveitar os melhores fundos de investimentos e ter um portfólio mais seguro para atingir seus objetivos financeiros com a diversificação.

Como diversificar investimentos?

Depois de conhecer as principais particularidades sobre o tema, chegou a hora de descobrir como montar uma carteira de ações diversificada. De maneira geral, há 5 práticas fundamentais para diversificar investimentos. São elas:

Entenda qual o seu perfil de investidor

Em primeiro lugar, você precisa conhecer o seu perfil de investidor. Afinal, é ele que determina o nível de riscos que você está disposto a correr e quais ações oferecem mais garantia para cumprir seus objetivos.

Por exemplo, se você tem um perfil conservador, o ideal é diversificar investimentos apenas em ativos mais seguros, como os de renda fixa. Já o perfil moderado pode alocar algum percentual em renda variável, enquanto o arrojado está apto a correr mais riscos. Entenda:

Investidor conservador

O perfil conservador é aquele que não arrisca. Em geral, prefere ações de menor rentabilidade, mais seguras. Para diversificar investimentos, prefere aqueles de renda fixa, mas aceita algumas oscilações em fundos multimercado.

Investidor moderado

Já o investidor moderado tem certa tolerância a variações e riscos. Mesmo focadas em sua segurança, pessoas desse perfil procuram retornos maiores, mas em prazos mais longos. Trata-se de um equilíbrio entre o conservador e o arrojado.

Investidor arrojado

O investidor arrojado está disposto a aplicar em opções de rentabilidade maior, mesmo que isso eleve seu risco. O foco está em múltiplos investimentos para ter mais remuneração a longo prazo, apesar de isso gerar possíveis perdas no médio e curto prazos.

Defina prazos e objetivos

Ciente sobre o seu perfil, tenha em mente que você precisa ter objetivos atendidos ao diversificar investimentos. Para isso, escolha aplicações adequadas às suas metas financeiras nos seus diferentes momentos da vida.

Pense na sua carteira em curto, médio e longo prazos. Se você quer fazer uma grande viagem daqui a 3 anos, por exemplo, coloque parte das suas finanças em uma aplicação com o mesmo prazo.

Já se está preocupado com a aposentadoria, aloque parte do dinheiro em rendimentos de longo prazo, e se o foco for nos objetivos mais imediatos, diversifique com prioridade para o curto prazo.

Escolha as classes de ativos

Uma carteira diversificada deve conter diferentes ativos financeiros. Você pode aplicar seu dinheiro em renda fixa, variável, previdência, multimercado, cambial, fundos imobiliários, e assim por diante.

Evidentemente, a proporção entre cada uma delas varia conforme o seu perfil e objetivos. Contudo, procure equilíbrio entre essas classes de ações, justamente para garantir a segurança e atingir suas metas.

Para começar, mantenha uma boa reserva de emergência. O ideal é ter ela investida com liquidez rápida, como uma conta com CDI ou em renda fixa. Só a partir disso você pode começar a diversificar e a assumir os riscos que está disposto em outras aplicações.

Defina quanto investir em cada classe

Lembre-se que diversificar investimentos não é adquirir uma enorme quantidade de ativos e muito menos investir de maneira aleatória. A ideia é minimizar os riscos, e não as suas possibilidades de ganhos.

A resposta para o que uma carteira de investimentos bem diversificada deve conter está na possibilidade de rendimentos em diferentes cenários. Inclusive, eles não precisam ser muitos, para não pulverizar a sua carteira.

Por exemplo, enquanto o Tesouro IPCA está atrelado à inflação, os títulos do Tesouro Direto variam com a Selic. Ao analisar o cenário macroeconômico e seu perfil de investidor, fica mais fácil definir quanto investir em cada classe de maneira mais equilibrada.

Acompanhe e reajuste sua carteira quando necessário

Depois de diversificar investimentos, não deixe de acompanhar os resultados. Eventualmente, pode ser necessário rebalancear o portfólio. Afinal, tanto o mercado quanto o seu perfil podem mudar e exigir um arranjo mais consistente nas aplicações.

A ideia é fazer um rebalanceamento periódico, sem alterações constantes. Imagine que você definiu 20% para renda variável na sua carteira, mas sua rentabilidade a fez aumentar para 40%. Nesse caso, faria sentido realocar o lucro de acordo com a proporção desejada.

Agora que você já sabe como diversificar investimentos, que tal simular os resultados de diferentes aplicações e garantir mais previsibilidade na montagem da sua carteira? Clique aqui e utilize gratuitamente o Simulador da Nobli.

 

Quer receber mais conteúdo?