O financiamento de energia solar é uma alternativa que vem atraindo cada vez mais o interesse do brasileiro. Os motivos vão desde a economia de energia elétrica até a responsabilidade ambiental, bandeira levantada pela discussão sobre boas práticas de ESG.

Montar um sistema solar fotovoltaico exige conhecimento técnico especializado, pois é preciso determinar qual é o melhor equipamento e a melhor configuração para um determinado consumo de energia, potência de painel, temperatura, entre outros fatores.

O investimento é relativamente alto, ficando entre R$ 20 mil e R$ 30 mil para uma instalação residencial. Porém, com uma instalação bem executada e a manutenção feita em dia, o custo tende a se pagar entre três e sete anos. Além disso, o equipamento pode ter vida útil de aproximadamente 30 anos, gerando mais de 90% de economia. 

Vamos ver a seguir mais detalhes sobre como montar esse sistema e saber quais são as opções para financiar um projeto como esse.

Como funciona a geração de energia solar?

Antes de buscar financiamento para um projeto de energia solar, é necessário entender o princípio de funcionamento desses sistemas. Apesar de tecnologias semelhantes, cada qual tem suas particularidades e exige esforços diferentes na implementação. Existem sistemas de três tipos:

1 – Energia solar fotovoltaica 

A eletricidade é gerada a partir da incidência da luz do sol em placas com células fotovoltaicas, que convertem a luz em energia. A força é capaz de alimentar sistemas autônomos e grandes redes de distribuição. Dependendo do tipo de conexão, pode ser:

  1. On-grid ou grid-tie: sistema ligado à rede elétrica convencional. Não demanda baterias para armazenamento de energia; 
  2. Off-grid: sistema independente da rede elétrica, demandando baterias para armazenar energia e manter o abastecimento;
  3. Sistema híbrido: combina as possibilidades para manter o abastecimento em caso de queda de tensão, por exemplo.

2 – Energia solar térmica 

Utiliza o sol como fonte de calor para ativar placas que, por sua vez, transferem calor para tubulações com líquidos. Essas tubulações alimentam o acumulador solar, dispositivo onde é aquecida a água que será utilizada em ambientes e processos residenciais, comerciais ou industriais.

4 – Energia heliotérmica

Também chamada de termossolar concentrada, ela funciona a partir de painéis específicos. Eles refletem a luz em um determinado ponto para aquecer um líquido e utilizar o seu vapor para movimentar turbinas, gerando eletricidade.

Quais são os principais benefícios da energia solar?

Para um país com alto índice de irradiação solar, como o Brasil, esse tipo de fonte de energia renovável ainda é bem pouco explorado. No entanto, os benefícios são convidativos:

1 – Instalação de relativo baixo custo

A geração da própria energia a partir do calor do sol gera pouco impacto ambiental e resíduos. Além disso, sua instalação não demanda grande investimento em infraestrutura na comparação com outros tipos de geradores, bastando a instalação das placas, baterias e tubulações necessárias.

2 – Incentivo fiscal e descontos

Ainda não há arrecadação de impostos no Brasil sobre a produção de energia solar, apesar das discussões no Congresso sobre o seu uso. Ao mesmo tempo, também é possível fazer a compensação de energia: obter descontos na conta de luz ao transmitir o excedente produzido para a rede convencional.

Desta forma, além da energia mais barata, também há ganhos quanto ao pagamento de impostos a créditos na fatura de energia.

Como fazer um financiamento de energia solar?

Definidos os pontos que você precisa saber para empregar a técnica mais adequada para o seu caso, é chegado o momento de buscar recursos. Atualmente, as instituições que oferecem esse tipo de financiamento são:

  1. Banco da Amazônia  
  2. Banco do Brasil
  3. Banco do Nordeste
  4. Banco BV
  5. Losango
  6. Santander
  7. Sicredi

Cada instituição tem autonomia para definir seu público de interesse e as condições do empréstimo. Vale consultar e comparar as alternativas para encontrar a melhor oferta, sempre prestando atenção ao Custo Efetivo Total (CET) da operação: todos os juros, encargos e taxas que você pode pagar.

Além disso, sempre vale a máxima: quanto mais tempo você permanece em uma operação de crédito, mais dinheiro deixa na mesa. Por isso, priorize o tempo menor de financiamento em vez da menor parcela.

Quanto custa fazer um financiamento para instalação de energia solar?

As taxas de juros para financiar a instalação de equipamento para geração de energia solar ficam em torno de 1% ao mês, com prazos médios de 60 meses (cinco anos).

Os valores liberados e as condições, no entanto, variam de acordo com o tipo de instalação, tendo limites distintos para pessoas físicas (CPFs) e jurídicas (CNPJs).

No entanto, além das linhas de financiamento específicas dos bancos, existem outras modalidades de empréstimo que você pode considerar. O crédito com garantia de investimentos, por exemplo, é uma das alternativas mais inovadoras e competitivas.

Nessa categoria, você pode utilizar aplicações financeiras como CDB, LCI, LCA, ações, BDRs, ETFs e FIIs como garantia de empréstimo. A maior vantagem é que você não precisa sacar seus recursos para se capitalizar e seus investimentos ficam congelados, rendendo normalmente de acordo com as condições do mercado.

E com a Nobli, você tem acesso à taxa de juros mais barata do mercado, otimizando seu planejamento financeiro e permitindo uma economia ainda maior.

Agora que você conhece melhor as alternativas para fazer um financiamento de energia solar, que tal entender as possibilidades em outras categorias? Confira mais detalhes sobre o crédito com garantia de investimentos e tire suas dúvidas.