O financiamento de veículo costuma ser uma das primeiras opções que vem à mente na hora de adquirir um automóvel. Mas essa não é a única opção que você tem para comprar o seu carro.

Nesse sentido, vale a pena pensar fora da caixa e explorar as possibilidades que o mercado oferece. Por isso, neste post vamos entender como o crédito com garantia de investimentos pode te ajudar nessa empreitada. Acompanhe!

Como fazer um financiamento de veículo?

A alternativa mais comum para financiar um veículo é oferecida em larga escala pelos bancos. Essa modalidade, inclusive, chega a movimentar em média R$ 10 bilhões por mês no Brasil, segundo os dados mais recentes do Banco Central.

Trata-se de uma operação burocrática e de prazo mais longo. O valor da parcela é calculado de acordo com um sistema de amortização, que pode ser a tabela SAC ou Price: simplificando, é possível escolher entre parcelas descrentes ou fixas.

Geralmente, as concessionárias já oferecem um plano de financiamento feito em parceria com algum banco. Mas você também pode consultar as condições na instituição de sua preferência.

Após um processo de avaliação do veículo e do seu perfil de crédito, o banco informa qual valor pode ser liberado para você e em quantas parcelas ele pode ser pago.

O ideal é sempre dar o maior valor possível de entrada e parcelar o valor restante no menor prazo possível, de acordo com o seu orçamento. Lembre-se: quanto menor o valor da parcela, maior a taxa de juros.

Quando vale a pena o financiamento de veículo?

Já falamos aqui no blog sobre os principais pontos a considerar antes de financiar um veículo. Resumidamente, vale a pena considerar a fatia da sua renda que ficará comprometida com o financiamento. 

Além disso, também vale colocar na conta o custo de manutenção e a depreciação do veículo. No futuro, você pode aproveitar esse automóvel para se capitalizar ou mesmo para trocar de veículo. Então, vale a pena considerar um modelo que ofereça bom custo-benefício também nesse sentido.

Uma vez que você decidiu financiar, pense nas alternativas para se capitalizar. Nem sempre o financiamento de veículos é a resposta.

E quanto ao crédito com garantia de veículo?

O financiamento de carros novos por meio do crédito com garantia de veículos também é uma possibilidade.

No entanto, o veículo que será usado como garantia precisa estar registrado no nome da pessoa que vai tomar esse tipo de empréstimo.

O automóvel ficará bloqueado para trocar de dono durante o prazo da operação e, dessa maneira, não será possível vendê-lo.

Por outro lado, esse tipo de financiamento é mais barato do que as linhas tradicionais.

O que vale mais a pena? Financiamento de veículos ou crédito com garantia de investimentos?

Dependendo do valor dos seus investimentos e da quantia que você precisa para financiar o um veículo, vale a pena considerar o crédito com garantia de investimentos como opção.

Vamos supor que você precise de R$ 10 mil para concluir essa operação. Vamos imaginar também que você tenha aplicações financeiras como CDB, LCI e LCA, ações, BDRs, ETFs ou FIIs em valores equivalentes.

Veja a seguir a diferença prática entre financiar um veículo em uma operação tradicional e tomar um empréstimo com garantia de investimentos:

A partir do exemplo acima, o crédito com garantia de investimentos acaba sendo a melhor opção por conta da taxa de juros mais baixa.

No entanto, como os valores liberados dependem da quantia que você tem investida, vale a pena analisar o seu caso em particular.

Para isso, faça uma simulação grátis no site da Nobli e veja qual é o valor que você pode ter liberado em sua conta. Não se esqueça de considerar todos os seus investimentos em CDB, LCI e LCA, ações, BDRs, ETFs e FIIs.

Entendendo melhor as diferenças entre o financiamento de veículos e outras modalidades, como o próprio crédito com garantia de investimentos, você amplia as suas possibilidades. Então, que tal conhecer mais sobre essa categoria? Confira o post que preparamos para entender como funciona e quais os outros benefícios de usar investimentos como garantia de empréstimo.